CALABAR, O ELOGIO DA TRAIÇÃO

Teatro João Caetano | Rio de Janeiro | estreou em 08/11/1973

Ficha Técnica

Chico Buarque de Hollanda Autor
Ruy Guerra Autor
Fernando Peixoto Direção
Edu Lobo Orquestração
Dori Caymmi Direção Musical
Hélio Eichbauer Cenários
Mario Masetti Diretor Assistente
Zdenek Hampl Diretor Assistente
Cacá Teixeira Direção de Produção
Renato Laforet Assistente de Produção
Leda Borges Assistente de Produção
Zdenek Hampl Coreografia
Rosa Magalhães Figurinos
Hélio Eichbauer Figurinos
Antônio Pedro Iluminação
M. S. 2001 Sonoplastia
Leda Borges Divulgação
Fernando Torres Diversões Produção

Observações

  • Anunciado e pronto para estrear em 08/11/1973, o espetáculo NUNCA ESTREOU. Depois de sucessivos adiamentos, em 24/01/1974, o diretor-geral do Departamento de Polícia Federal, General Antonio Bandeira, assinou portaria proibindo a apresentação da peça em todo território nacional. O espetáculo, com mais de 40 atores e atrizes, produzido por Fernando Torres, foi orçado em 650 mil cruzeiros (O Jornal do Brasil, na época, custava 1 cruzeiro).

Fonte

  • Coleção Teatro Hoje Volume 24 - Editora Civilização Brasileira S.A.

Última atualização

  • 01/03/2018