Descrição

Sinopse

Carregada de humanidade, a trama atualíssima de Dias Gomes, traz o questionamento da fé de seu protagonista, Zé do Burro, em oposição às reações sistemáticas do clero às manifestações religiosas ditas populares, acirrando o debate sobre o sincretismo religioso.

 

Serviço

Onde – CCLA – Casa de Cultura Laura Alvim Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema – (21) 2332-2016

Temporada – 10 a 12 de maio / 16 a 19 de maio / 30 de maio a 02 de junho.

Dias e Horários – Sex e Sáb 20h / Dom 19h

Ingressos – R$ 5,00 Inteira e R$ 2,50 Meia

Classificação – 12 anos

 

Ficha Técnica

Autor – Dias Gomes

Elenco – Diogo Vilela, Patrícia Pinho, Luiz Furlanetto e

A Cia FUNARJ de Teatro, Arte e Repertório Duda Romanhol, Elymara Cardoso, Ezequiel Vasconcelos, Jeff Fagundes, Jovan Ferreira, Michelle Raja Gebara, Moisés Ribeiro, Murillo Carrão, Octavio Vargas, Peter Boos, Rodri Mendes, Walle Pinheiro e Yosef Gonzales.

Direção – Marcus Alvisi

Assistente de direção – Marco Aurélio Monteiro

Direção de Produção/Adm. Financeira – Marília Milanez

Cenografia e Direção de Arte – Ronald Teixeira

⁠Figurinos – Ronald Teixeira e Pedro Stamford

⁠Visagismo – Mona Magalhães e Lucas Raibolt

Iluminação – Daniela Sanchez

Direção de movimento – Juliana Medella

Trilha – Marcus Alvisi

Designe gráfico e Fotos – Victor Hugo Cecatto

Assessoria de Imprensa – Maurício Aires e Rogério Alves

Curadoria e Produção – NITIREN Produções Artísticas Ltda.

Realização – FUNARJ – Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Governo do Estado do Rio de Janeiro  

 

 

Outras Informações

O ator Diogo Vilela volta aos palcos cariocas com a montagem de O Pagador de Promessas de Dias Gomes e direção de Marcus Alvisi, além de Patrícia Pinho e Luiz Furlanetto como atores convidados e os treze atores que compõem a Cia Funarj de Teatro, Arte e Repertório: Duda Romanhol, Elymara Cardoso, Ezequiel Vasconcelos, Jeff Fagundes, Jovan Ferreira, Michelle Raja Gebara, Moisés Ribeiro, Murilo Carrão, Octavio Vargas, Peter Boos, Rodri Mendes, Walle Pinheiro e Yosef Gonzales.

 

Carregada de humanidade, a trama atualíssima de Dias Gomes, traz o questionamento da fé de seu protagonista, Zé do Burro, em oposição às reações sistemáticas do clero às manifestações religiosas ditas populares, acirrando o debate sobre o sincretismo religioso.

 

A peça é multipremiada, inclusive levando a Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1962, em sua versão para o cinema.

 

A montagem é o resultado dos trabalhos desenvolvidos durante o processo de criação da Cia Funarj de Teatro, Arte e Repertório, que tem curadoria do ator Diogo Vilela e é uma realização inédita: a criação da primeira Cia pública de teatro, no Brasil.

 

Tem como premissa a possibilidade dada a atores/bolsistas, com curso de aprofundamento e aulas de corpo, voz, interpretação e história do teatro, ministrados por professores qualificados no mercado de artes cênicas carioca.

 

O objetivo é uma pesquisa da linguagem Teatral concordante com a montagem a ser realizada, após as oficinas, onde a dramaturgia do autor escolhido é discutida e trabalhada diretamente no curso, dando maior compreensão técnica para a realização da peça.